Como ficaria a economia com Alckmin na presidência

Entrevista de Fabio Silveira para o Portal Varejo em Dia.


Inflação anual ao redor de 4,5, Selic, de 7%, taxa de câmbio, de R$ 3,90, e PIB (Produto Interno Bruto) crescendo 2,5%.

Esses são números previstos para 2019 com Geraldo Alckmin no comando do país, de acordo com análise de Fabio Silveira, sócio-diretor da MacroSector Consultores.

Alckmin, candidato à presidência do Brasil pelo PSDB, é considerado um “homem do establishment, e, portanto, capaz de trazer calma para os mercados de câmbio e de juros”, diz.

Com Jair Bolsonaro (PSL) na presidência do país, as projeções de Silveira são outras. Leia mais.

 

Prevê-se que IPCA subirá 4,2% em 2018

Por causa da elevação de preços agrícolas e de combustíveis.

Mestre em economia pela Universidade de Grenoble (França) e pós-graduado pelo Instituto de Altos Estudos Internacionais e de Desenvolvimento de Genebra (Suíça). Economista formado pela USP. Foi superintendente de estudos setoriais e de investimentos do UNIBANCO, além de economista da Copersucar e do Senai. Atuou nas principais consultorias do país. Hoje é sócio-diretor da MacroSector Consultores.