Entrevista de Fabio Silveira para o portal G1

Por Darlan Alvarenga e Marina Gazzoni, no G1 em 15/12/2016

 

Para o Fabio Silveira, sócio-diretor da consultoria Macro Sector, o efeito das medidas anunciadas serão limitados. “Tudo ajuda, mas o efeito será pequeno. São medidas secundárias para melhorar a liquidez das empresas”, diz.

Segundo ele, as empresas brasileiras passam por uma severa crise econômica e vêm perdendo receitas. “O que faria diferença mesmo para melhorar o nível de atividade seria a queda da taxa de juros, se possível, para menos de 12% ao ano. Isso iria reduzir o custo do crédito, fomentar investimentos e gerar uma atmosfera positiva para a economia”, afirmou.

 

Clique aqui para ver matéria na íntegra

Recuperação das lavouras deve garantir boa performance do agronegócio em 2017

Por Gustavo Bonato na Reuters Brasil em 15/12/16

 

A economia do agronegócio brasileiro deverá ter um ano positivo em 2017, com crescimento da receita e dos negócios com commodities em função de uma safra recorde que beneficia as exportações e a produção de proteína animal no país, além de uma possível recuperação do poder de compra dos consumidores, disseram especialistas e lideranças do setor.

O grande motor da economia agropecuária do país no próximo ano deverá ser uma safra recorde de grãos que atingirá 213 milhões de toneladas no ciclo 2016/17, cujas colheitas começam já no primeiro trimestre do ano que vem. Se confirmada, a produção de grãos, puxada por soja e milho, será 14 por cento maior que a registrada na temporada anterior, quando a seca afetou fortemente as produtividades, especialmente do cereal.

“Na contramão da economia brasileira, o agronegócio aponta para um desempenho positivo em 2017 por causa do horizonte de melhora da receita agrícola (das lavouras). Temos pela frente preços relativamente estáveis… e temos o aumento da produção de grãos”, disse o sócio-diretor da consultoria MacroSector, Fábio Silveira.

 

Clique aqui para ver matéria na íntegra