Economia brasileira gerou 35,5 mil empregos em agosto

Perspectiva é de melhora gradual do mercado de trabalho

Por: Fabio Silveira 


Em agosto, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), houve a geração líquida de 35,5 mil empregos formais. Este resultado foi bem melhor que o do mesmo mês de 2016, quando foram eliminados, aproximadamente, 34 mil postos.

Apesar disso, nos últimos 12 meses terminados em agosto, o mercado de trabalho brasileiro contabilizou a extinção de 544,7 mil vagas formais. Este desempenho é:

a. Relativamente mais favorável que o dos últimos 12 meses terminados em julho de 2017 (extinção de 618,7 mil vagas); e

b. Significativamente melhor que o observado nos últimos 12 meses encerrados em agosto de 2016 (destruição de 1.656 mil vagas).

A referida extinção de 544,7 mil empregos, deveu-se ao desempenho combinado dos seguintes setores:

– Indústria: eliminação de 370,5 mil vagas;

– Agricultura: criação de 17,4 mil postos de trabalho;

– Comércio: destruição de 37,1 mil empregos;

– Serviços: extinção de 142,9 mil vagas; e

– Administração Pública: eliminação de 11,6 mil postos de trabalho

Nessa perspectiva, mantém-se, para 2017, a estimativa anterior de eliminação de 300 mil postos, o que, de todo modo, significa uma queda expressiva ante o verificado em 2016 (1,32 milhão de vagas). A expectativa é de que o mercado de trabalho continue em recuperação, em face do cenário de crescimento moderado do nível de atividade da economia brasileira em 2017 (+ 0,5%) e em 2018 (+ 2,0%).

Capturar