Em 2018 avançam indústria, varejo, salários e emprego

 

Entrevista de Fabio Silveira para Valor Investe


Indústria e varejo em expansão, aumento da massa real de rendimento com melhora na oferta de emprego e salários, juro real na faixa de 2,2% ao ano, inflação em alta moderada mas abaixo da meta, quadro externo bastante favorável e câmbio levemente pressionado por um ambiente de crise política, desequilíbrio fiscal e alta do juro nos Estados Unidos compõem o cenário econômico da MacroSector para 2018. A consultoria divulgou hoje suas projeções para os principais indicadores econômicos e financeiros. A perspectiva para o Brasil é positiva.

Fábio Silveira, sócio e diretor da MacroSector, responsável pelo cenário, projeta PIB em expansão de 2,8% neste ano, após avanço estimado em 1% em 2017. “O crescimento mais firme esperado para 2018 será impulsionado pelo desempenho favorável das exportações e das contas externas, aumento do salário real, redução do custo de financiamento com elevação gradual do crédito no mercado interno e aumento de 5,7% da receita real das exportações brasileiras, para R$ 584,2 bilhões, melhorando a rentabilidade das cadeias produtivas mais voltadas ao mercado externo”, afirma o economista que aponta como fatores negativos ao cenário econômico o aumento moderado do investimento e a retração do gasto público.

No detalhe, a MacroSector prevê aumento da produção industrial de 4% na comparação com expansão de 2,5% em 2017, recuperando-se de três anos seguidos de queda. O Índice de Produção Industrial caiu 3% em 2014, 8,2% em 2015 e 6,4% em 2016.

As vendas no varejo, também em variação anual, deve subir 3% neste ano, ante 2,1% em 2017 e queda de 6,3% em 2016 e 4,3% em 2015.

Em volume, os Serviços devem crescer 2% neste ano na sequência de três anos de queda: 2,8% em 2017, 5% em 2016 e 3,6% em 2015.